4 de abril de 2016

Amor.


Uma página se desprende. Cegamente a recolho. Porque o mundo é branco e as sombras transparentes. O CADERNO DO JARDINEIRO, de Angela Lago. As metáforas por aqui passeiam, flutuam. A vida é o seu próprio tempo, o meu próprio tempo é a vida. Flores e poemas. Amor. Enquanto dure nossa leitura...
ÁRVORE VERGADA
– Angela Lago –

tudo no meu corpo é ânsia de colo
sou a mãe e a criança misturadas no amor
amo a mim mesma condoída
como a um próximo distante
amo o que neste corpo velho já fui
o bicho também
e assim
o amor se estende às pedras
à árvore vergada de frutos e à água
e é tudo amor por mim mesma
ou será amor

Fonte: Babel

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Seguidores